CLIQUE ABAIXO PARA VISITAR TIMES POR ESTADO OU CLIQUE ACIMA NO TIME DO SEU INTERESSE

America Football Cub - Rio de Janeiro-RJ

America Football Club

Fundado em 18 de setembro de 1904
Endereço: Rua Gonçalves Crespo, 274
Bairro Tijuca - Rio de Janeiro/RJ
Estádio Giulite Coutinho, na cidade de Mesquita/RJ


Uma das instituições esportivas mais reconhecidas e importantes do Rio de Janeiro, o America não nasceu vermelho e branco e nem mesmo na Tijuca. Esses traços foram incorporados pela genética americana ao longo do tempo. Nossa gênese vem do já longínquo 18 de setembro de 1904 quando, descontentes com os rumos do Clube Atlético da Tijuca, agremiação que promovia corridas a pé, sete jovens se reuniram na casa de um deles, Alfredo Guilherme Koehler, na Saúde, para dar origem a uma nova instituição, que já surgia sob o exigente signo do inconformismo e da excelência.

Depois de discutirem por horas, Henrique Mohrstedt, Oswaldo Mohrstedt, Gustavo Bruno Mohrstedt, Alberto Koltzbucher e Jayme Pereira Machado e Alfredo Guilherme Koehler chegaram a uma lista com três sugestões. Oswaldo Mohrstedt sugeriu Rio Football Club, em homenagem à cidade que abrigaria a agremiação recém criada. Henrique Mohrstedt preferia Praia Formosa Football Club, em alusão ao nome da rua onde o clube seria fundado, mas as duas sugestões não agradaram, até que o anfitrião, em um momento de epifania, sugeriu America, em homenagem ao novo continente. Um nome que pegou e logo se espalharia por todo o país e o mundo graças à iniciativa de Belford Duarte.

FOTO HISTÓRICA DOS FUNDADORES DO AMÉRICA


Os sete fundadores do America: Alberto Klotzbücher, Oswaldo Mohrstedt.
Sentados da direita para a esquerda: Henrique Mohrstedt, Gustavo Bruno Mohrstedt, Alfredo Mohrstedt, Jaime Faria Machado e Alfredo Guilherme Koehler. 

Primeiro uniforme foi criado em 1904

Naquele tempo o America era alvinegro, e de preto e branco fez seu primeiro jogo, contra o Bangu, no dia 6 de agosto do ano seguinte, na Rua Ferrer. Apesar de fundado no mesmo ano, o rival já era um clube estabelecido havia tempo: anos antes já praticava o futebol com operários e técnicos ingleses da Fábrica Bangu, que deu origem ao time. 

Em campo, uma previsível goleada de 6 a 1 para os adversários, em um resultado que em nada antecipava o equilíbrio dos duelos reservados para os próximos anos.

Coube ao acadêmico paulista de medicina, Amilcar Teixeira Pinto, capitão do America na partida, a honraria de ter marcado o primeiro gol da história do clube. O uniforme com camisas e meias pretas, calções e gravata branca resistiria até 1908 quando o clube, adotou o vermelho e branco por sugestão de Belford Duarte, influenciado pelo belo uniforme do Mackenzie College, de São Paulo.



Estádio Wolney Braune, antigo campo do Andaraí. Ao fundo, Igreja Santo Antônio de Lisboa. Foto de André Luiz Pereira Nunes


A transferência definitiva para a Tijuca aconteceria mais tarde. Em dificuldades financeiras, o Haddock Lobo Football Club, agremiação que utilizava a surpreendente combinação marrom e branco e jogava os primeiros Campeonatos Cariocas, fundiu-se ao America em 1911. Desta maneira, o America passou a ser dono do estádio da Rua Campos Sales e ganhou mais reforços de qualidade, como o goleiro Marcos Carneiro de Mendonça. Neste momento, o America se tornou um clube maduro e estabelecido, pronto para conquistar os primeiros títulos que estavam por vir.
Evolução do Escudo

O Escudo

Na ordem: O primeiro escudo 1904: branco sobre a camisa preta, com monograma AFC bordado a mão; Segundo escudo (1908): com a adoção de uma nova camisa, surge um novo desenho das letras AFC, ainda em branco, formando um círculo.; Terceiro escudo (1913): A partir deste ano um círculo é traçado em volta do escudo e lhe dá seu aspecto quase definitivo; e o Definitivo (2006) Devido às inúmeras reproduções que o adulteraram ano após ano, um estudo é feito para padronizá-lo em definitivo.

Evolução das Bandeiras


Mascote


Estádio Giulite Coutinho

Desde a inauguração, o Estádio Giulite Coutinho já foi palco de competições internacionais como os Jogos Mundiais Militares e a Copa Peregrino, além de ter sediado partidas das quatro séries do Campeonato Brasileiro e das três do Campeonato Estadual e de ter recebido shows variados.


Sede social do America na rua Campo Sales. Foto de André Luiz Pereira Nunes


Fonte Site Oficia do America http://www.americario.com.br

Campeão dos campeões: o auge do América 

Nenhum clube brasileiro além do America pode ostentar o privilégio de autointitular-se campeão do Torneio dos Campeões, um título com a alcunha singular de campeão dos campeões. Em 1982, ao receber o convite das mãos do saudoso Giulite Coutinho, então presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e americano descarado, o clube não aceitava apenas entrar em uma competição que reunia os maiores e mais temidos times da época. Ele garantia, ainda sem saber, seu ingresso na história. Aliás, essa história ainda reside com uma incrível vitalidade na memória de seus personagens, que recordam, como se fosse ontem, o tempo em que sequer as melhores equipes do país conseguiram pará-los.  http://globoesporte.globo.com


Em pé : Gasperin, Zedílson, Aírton, Everaldo, Chiquinho e Pires. Agachados: Serginho, Gilberto, Luisinho, Moreno e Gilson Gênio. Parte do America campeão dos campeões em 1982 (Foto: Arquivo Pessoal/Paulo Cézar Carreira)

Pesquisas / Montagem / Edição: JF Hyppólito
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...